O Circo do Omo

Há dez anos, quando Jean Queyrat viajou pela primeira vez ao Vale do Omo, esta inacessível região do sul da Etiópia só era conhecida por alguns paleontólogos, antropólogos e viajantes corajosos. O tempo parecia que tinha parado aqui há milhares de anos. No entanto, tudo mudou com a construção das primeiras estradas e os turistas começaram a chegar em grande número a uma região que parecia oferecer o auge do exotismo tribal. Para os povos do Omo, abre-se uma grande oportunidade de negócio em forma de circo. Por um lado, os turistas que chegavam a este recôndito lugar do Corno de África queriam ver tribos selvagens e primitivas a todo o custo. Por outro lado, os povos do Omo começaram a pintar-se com todo o tipo de cores e formas, elevando a pintura corporal à categoria de arte, apesar de isto levar a uma renúncia da sua própria tradição. O Odisseia oferece-te um documentário que apresenta com detalhes a comédia de engano que existe atualmente no Vale do Omo entre a população local e os turistas.

Partilhar no: