2 de Outubro de 2018

A queda do império de Harvey Weinstein

Os dias de brilho e glamour de Hollywood terminarão para o famoso produtor cinematográfico, Harvey Weinstein. De um dia para o outro um dos mais poderosos produtores e empresários da sétima arte viu-se envolvido no centro de um escândalo sexual sem precedentes. 

Em Outubro de 2017, o reconhecido jornal norte americano, The New York Times publicou várias denúncias de actrizes e assistentes que trabalharam com o produtor, no qual o acusavam de ser um predador sexual. Era o início da queda do mogul de Hollywood e o início do fim do pesadelo para todas as vítimas que sofreram devido ao poder e chantagem exercicido por Weinstein. 

No entanto à medida que os anos foram passando, algumas dessas vozes começaram a fazer-se ouvir. Ashley Judd, é um desses casos. A actriz contou ao diário americano que durante as gravações do filme “Kiss the Girls’”, Weinstein lhe pediu que se encontrará com ele no Hotel Península em Beverly Hills para uma reunião de trabalho. No hotel, Judd encontrou o produtor vestido com um robe e este propôs-lhe fazer uma massagem no pescoço ou se preferise que o observasse enquanto este se duchava. Ao contrário de muitos outros casos, Judd conseguiu escapar da armadilha de Weinstein mas foram muitos os casos de mulheres que foram incapazes de fugir das mãos do todo poderoso de Hollywood. Entre as vítimas de Weinstein que assinaram contratos de confidencialidade está a actriz Rose McGowan, que recebeu 100.000 dólares em 1997 e a modelo italiana Ambra Battilana, uma das últimas vítimas que o denunciou em 2015.

A todas estas denúncias, somam-se as opiniões de várias estrelas de Hollywood que repudiaram o comportamento pouco ético de Weinstein. Isto gerou uma onda de descontentamento por parte de várias mulheres que também foram vítimas de assédio ou agressão sexual, levando à criação do movimento #MeToo. O principal objectivo deste movimento era dar voz às vítimas, ajudando-as a denunciar os seus agressores sexuais e ao mesmo tempo apoiarem-se umas nas outras, uma vez que após a viralização do hashtag nas redes sociais a sociedade ficou em choque com o quão frequente este tipo de agressões ocorrem nos dias de hoje.

Se quer saber mais sobre as vítimas, o escândalo e a queda do mogul de Hollywood, então não pode perder a estreia domingo, dia 28 outubro o documentário “O Escândalo Harvey Weinstein” às 22:30 no Odisseia.