20 de Novembro de 2020

“AMAZÓNIA: O MUNDO PERDIDO” ESTREIA NO ODISSEIA

Numa altura em que a maior floresta tropical do mundo enfrenta um dos períodos mais devastadores da história devido aos incêndios que deflagraram na região, o Odisseia recorda a sua extraordinária riqueza civilizacional na série documental “Amazónia: o mundo perdido” para ver a partir de sábado, 5 de dezembro, às 22h30.

O Odisseia visita semanalmente e ao longo de três episódios, exibidos aos sábados, sempre às 22h30 ou em formato maratona no dia 26 de dezembro, às 22h30, várias povoações de tribos indígenas que colocarão o espectador no rasto do fascinante passado da Amazónia e das suas desconhecidas raízes genéticas que questionam tudo o que sabíamos, até agora, sobre a grande migração humana para a América do Sul.

“Amazónia: o mundo perdido” é um trabalho atual que revela as mais recentes provas de que a selva foi o lugar de povoações de grande densidade (com mais de 10 milhões de habitantes) e o lar de sociedades complexas que vêm de há, pelo menos, 2.000 anos. Estima-se que a sua população atual em alguns lugares seja menos de 1% daquilo que outrora foi, estando ainda provado que tribos como os SuruÍ, Karitiana e Xavante partilham ADN com pessoas do outro lado do mundo.

Apesar da ameaça constante de madeireiros, mineiros e cartéis de droga, munidos da nova tecnologia LIDAR, que utiliza lasers para ver debaixo da densa cúpula da selva, os arqueólogos estão a revelar um incrível mundo desconhecido, onde existem terraços cerimoniais, assentamentos inéditos ou um excecional conjunto de arte rupestre.

No primeiro episódio, com estreia dia 5 de dezembro, “Sociedades Esquecidas”, o Odisseia acompanha os arqueólogos que estão a investigar as misteriosas formas geométricas reveladas devido à desflorestação.

Em “Os Primeiros Povoadores”, com estreia marcada dia 12 de dezembro, os arqueólogos procuram perceber se uma das maiores colecções de arte rupestre pré-histórica, revelada na Colômbia, foi pintada pelos primeiros humanos que chegaram à Amazónia, há pelo menos 12.000 anos.

O último episódio, emitido no dia 19 de dezembro, “Colapso de uma civilização”, entra nas profundezas da selva da Amazónia para encontrar a tribo indígena dos Kuikuro que guia os arqueólogos aos misteriosos terraços que rodeiam a sua modesta aldeia na selva e que podem revelar resultados surpreendentes sobre a grande migração humana rumo à América do Sul.

A Amazónia é a maior floresta tropical do mundo e possui a maior biodiversidade registada numa área do planeta, com cerca de 5,5 milhões de quilómetros quadrados e inclui territórios do Brasil, Peru, Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa (pertencente à França).

Não perca a estreia exclusiva no Odisseia de “Amazónia: o mundo perdido”, a partir de sábado, 5 de dezembro, às 22h30. Prometemos levá-lo numa viagem inesquecível pelo passado, presente e futuro da Amazónia.