6 de Fevereiro de 2020

Conheça os maiores perigos do mundo online para as crianças

A segurança das crianças e adolescentes na Internet é uma responsabilidade de toda a sociedade. Um ambiente seguro é um dos principais factores para o crescimento e sucesso dos indivíduos.
Do ponto de vista das autoridades e do governo várias acções ainda têm que ser tomadas de forma a tornar a internet um local mais seguro. Estas medidas poderão passar pelo desenvolvimento de novas leis ou pela criação de marcos regulatórios que protejam os interesses das pessoas. Mas todos estão de acordo com que ainda existe um longo caminho por percorrer no que toca a promover uma cultura de cibersegurança saudável onde todos possamos navegar de forma tranquila.

Para ajudar na abordagem deste tópico seleccionados 3 dos perigos mais comuns a que crianças e adolescentes estão expostos na famosa world wide web (WWW).

1. Cyberbullying

As formas de assédio têm vindo a evoluir e as novas tecnologias e a internet converteram-se no meio de propagação preferido. Todos conhecemos ou já ouvimos casos de pessoas que foram vítimas de cyberbullying ao ver as suas fotos ou vídeos privados serem publicados na internet. A rapidez com que os conteúdos são distribuídos online, o anonimato e o facto de tudo o que vai parar ao mundo online dificilmente seja retirado fazem com que este tipo de assédio tenha vindo a aumentar nos últimos anos. Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Fundação Telefônica, 55% dos jovens já foram vítimas de alguma forma de cyberbullying, um dado alarmante que exige medidas para travar este comportamento.

2. Grooming
Refere-se às estratégias que um adulto utiliza para ganhar a confiança e atenção de uma criança ou adolescente através da Internet, com o propósito de a abusar ou explorar sexualmente. O grooming é sempre realizado por um adulto que muitas vezes se faz passar por outra criança ou adolescente com o fim de conseguir imagens/vídeos sexuais das vítimas.

3. Sexting
A palavra sexting refere-se à divulgação de conteúdos eróticos ou sexuais na internet, seja por meio das redes sociais ou email. Este fenómeno é cada vez mais comum entre jovens que o praticam para “flirtar” com alguém de quem gostam ou como forma de retribuir o favor a alguém que já lhe tenha enviado uma foto sexualmente explícita. O sexting pode ser considerado uma forma de cyberbulling uma vez que pressiona adolescentes a enviar fotos comprometedores e que muitas vezes terminam na internet.

Levantamos o véu a apenas três dos grandes perigos que se escondem no mundo online. Dia 11 Fevereiro celebra-se o Dia da Internet Segura e cabe aos pais, familiares e amigos aumentar a consciencialização acerca dos perigos a que os mais jovens estão expostos no mundo online de forma a que estes façam um uso adequado do espaço cibernaútico, especialmente quando não têm conhecimento sobre as ameaças que se escondem por detrás.