6 de Maio de 2021

ODISSEIA ESTREIA “MEGA ESTÁDIOS DA EUROPA”

Para compreender os desafios de engenharia que implicaram a construção dos oitos estádios que, tudo indica, irão compor o Campeonato da Europa de 2021, o Odisseia estreia o especial “Mega Estádios da Europa”, uma série documental de seis episódios para ver em sessão dupla a partir de dia 20 de maio, pelas 22h30.

Apesar dos constrangimentos e das incertezas do atual cenário de pandemia, se tudo se confirmar, pela primeira vez desde a sua criação, o Campeonato da Europa de 2021 não terá uma sede definida e os jogos terão lugar em oito dos estádios mais lendários e modernos do continente.

De Wembley, na Inglaterra, a Baku, no Azerbeijão, passando por Bilbao, Munique, Budapeste e São Petersburgo, o Odisseia viaja por toda a Europa para conhecer os seis verdadeiras façanhas arquitectónicas que são o plasmar do engenho dos seus arquitetos, que não tiveram dúvidas em recorrer a soluções tão audazes como um arco de 315 metros de comprimento, modernos tetos retráteis, fachadas compostas por milhares de painéis luminosos ou terrenos de jogo desmontáveis. A Europa tem uma longa história de actividades desportivas que remontam ao antigo período grego.

Quando, há já largos anos, a UEFA anunciou que o EURO 2020, para assinalar os 60 anos desde a primeira edição da competição, iria celebrar a união do futebol europeu e, pela primeira vez, decorrer em 12 cidades espalhadas por múltiplos países do ‘velho continente’ tinha consciência de que em termos logísticos seria um EURO diferente. Mas estaria longe de prever os constrangimentos que tal iria causar perante um então inimaginável cenário de pandemia global.

O jogo de abertura está marcado para Roma, a 11 de junho, entre a Itália e a Turquia. A decisão da prova decorrerá, depois, em Londres, com a final marcada para 11 de julho no Estádio de Wembley.

“MEGA ESTÁDIOS DA EUROPA”
QUINTAS-FEIRAS, A PARTIR DO DIA 20, ÀS 22h30

Ep.1. Roma vs Bilbao Quinta-feira 20 de maio, 22h30
Bilbao, no norte da Espanha, alberga o Museu Guggenheim e várias catedrais góticas. Recentemente construiu-se outra catedral, desta vez pagã, lugar de culto dedicado aos peregrinos do futebol. Situado na parte mais recente da cidade, o estádio de San Mamés ergue-se imponente sobre o rio Nervión para acolher mais de 53.000 espetadores. Quase 2.000 km para leste, encontramos o estádio olímpico de Roma, cenário dos grandes dérbies entre os clubes da capital italiana. No centro da tribuna Tevere, que já vem do estádio original, descobrimos os segredos da renovação deste atípico recinto, uma arquitetura que nos permite partilhar a paixão dos adeptos pelo jogo.

Ep.2. São Petersburgo vs Baku Quinta-feira 20 de maio, 23h30
São Petersburgo, a antiga capital imperial russa, é considerada uma das cidades mais bonitas da Europa. Para uma cidade extraordinária, era necessário um estádio excecional. A nave espacial, como é conhecido o estádio Krestovsky, foi construída na margem do golfo da Finlândia e tem capacidade para 69.500 espetadores. A 3.000 km para sudeste, encontramos Baku, antigo centro industrial da União Soviética e agora capital do Azerbeijão. Situado na margem do lago Boyukshor, o estádio olímpico foi inspirado na torre da Donzela, o símbolo da cidade, tem capacidade para 69.870 espetadores e foi construído à prova de terremotos.

Ep.3. Bucareste vs Budapeste Quinta-feira 27 de maio, 22h30
A Hungria construiu um estádio totalmente novo para acolher quatro jogos do Campeonato da Europa de 2021. Situado na capital, o Puskás Aréna de Budapeste permitirá aos seus 68.000 espetadores desfrutar do futebol, com todo o tipo de comodidades. Do outro lado da fronteira, os engenheiros romenos tiveram de enfrentar todo o tipo de complicações para transformar o antigo estádio nacional de Bucareste num verdadeiro estádio olímpico. O teto retrátil e a forma de antigo coliseu são duas das soluções brilhantes que tiveram de enfrentar os responsáveis pelo projeto.

Ep.4. Glasgow vs Dublin Quinta-feira 27 de maio, 23h30
O estádio Aviva de Dublin é o resultado do génio criativo de Populous Hok e Scott Tallon Walker, dois ateliers de arquitetura que se atreveram a embarcar num desafio que parecia impossível: substituir o antigo estádio de Dublin por um recinto capaz de albergar o dobro do número de espetadores, sem acrescentar nem um metro quadrado à sua área. Do outro lado do mar da Irlanda, fica o estádio mais mítico do Campeonato da Europa de 2021. Construído há mais de 115 anos, o estádio Hampden Park de Glasgow foi, a dada altura, o maior estádio do mundo e ainda é o detentor do record europeu de assistência a um jogo internacional.

Ep.5. Londres vs Munique Quinta-feira 3 de junho, 22h30
O novo estádio de Wembley, na Inglaterra, acolherá as semifinais e a final do Campeonato da Europa de 2020. Considerado a meca do futebol britânico, o velho Wembley foi demolido em 2003, no meio dos protestos dos adeptos, mas ainda se conservam as duas torres gémeas que emolduravam a entrada do antigo estádio. Na Alemanha, o Allianz Arena é uma parte integral da identidade e da História de Munique. O estádio projeta na direção da cidade o apoio dos adeptos, através da sua incrível fachada colorida. O segredo está num novo material que funciona como alternativa ao vidro tradicional: o EFTE.

Ep.6. Amsterdão vs Copenhaga Quinta-feira 10 de junho, 22h30
A impressionante renovação do Amsterdam Arena permite-nos descobrir toda uma série de inovações materiais e tecnológicas que apontam para o futuro, da considerável ampliação do espaço nas bancadas até à instalação da carcaça iluminada que envolve toda a parte exterior do recinto. Entretanto, em Copenhaga, o Parken Stadion é um exemplo arquitetónico perfeito naquilo que se refere à integração de um estádio num ambiente urbano. Adentrar-nos neste peculiar recinto, reconstruído em 1990, é todo um prazer para os sentidos, graças à destreza e a capacidade inventiva do arquiteto C.F. Møller.